Instalação do Apache

Atualize a lista de pacotes disponíveis usando o comando sudo apt-get update

Captura de Tela (1)

Com o comando sudo apt-get install apache2 você irá iniciar a instalação

Captura de Tela (3)

Para verificar se foi instalado corretamente vá até o navegador e digite http://localhost. Se houver a mensagem “It works”, é porque está tudo certo!

Captura de Tela (4)

Encontre a pasta onde está o código dessa página e você vai pode fazer as modificações que quiser pelo terminal, para mudar o que aparece no navegador ao digitar “localhost“.

Captura de Tela (5)

Faça uma cópia da pasta, pois pode haver algum erro. Utilize cp /var/www/html/index.html  /var/www/html/index2.html para isso.

Captura de Tela (6)

Você pode editar o arquivo index.hml utilizando o comando sudo nano /var/www/html/index.html

Captura de Tela (8)

É possível modificar digitando o código que quiser

Captura de Tela (9)

Utilizei o seguinte código:

<head>

<title>Como fazer brigadeiro</title>

</head>

<body>

<center>

<h1>Como fazer brigadeiro</h1>

<ul>

<li>Aqueça a panela em fogo médio</li>

<li>Acrescente uma colher de sopa de manteiga</li>

<li>Logo após utilize uma caixa de leite condensado junto com a manteiga</li>

<li>Em seguida acrescente 3 colheres de sopa chocolate em pó e mexa sem parar até desgrudar da panela</li>

<li>Unte um recipiente onde a mistura será despejada e faça pequenas bolas com a mão passando no chocolate granulado. Está pronto!</li>

</ul>

</center>

</body>

</html>

 

*na imagem contém um erro pois sem perceber coloquei o title abaixo do html, porém foi consertado, mas esqueci de tirar print… 

 

Depois de fazer a modificação da página, salve utilizando o comando CTRL + O, ENTER e, CTRL + X para sair. Depois digite novamente http:/localhost no navegador e a pagina será exibida com suas modificações! 🙂

Captura de Tela (11)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Instalação e configuração do DNS

Abra o terminal e utilize o comando sudo apt update para atualizar a lista de pacotes disponíveis.

Captura de Tela (1)

Use o comando sudo apt install bind9 dnsutils para iniciar a instalação de pacotes importantes para o processo.

Captura de Tela (12)

Execute o comando nmcli device show enp0s8, que mostra a situação atual da rede

1

É muito importante fazer uma cópia dos arquivos de configuração antes de começar as modificações, pois podem ocorrer erros durante o processo. Por isso utilize o comando sudo cp  /etc/bind/named.conf.options     /etc/bind/named.conf.options.old 

8

Utilize o comando sudo nano etc/bind/named.conf.options para editar o arquivo.

9

Apague as marcações de comentários e substitua os zeros por 192.168.1.254 em forwarders, depois salve usando Ctrl + O e clique em enter, após isso use Ctrl + X.

11

Reinicie o sistema com o comando sudo systemctl restart bind9.service.

12

Faça uma cópia de outro arquivo de configuração com o comando sudo cp /etc/bind/named.conf.local  /etc/bind/named.conf.local.old.

131.png

Você irá usar, novamente, o comando sudo nano /etc/bind/named.conf.local; para modificar o arquivo.

14

Você criou a zona primária “teste.aula”, agora salve usando Ctrl + O, pressione enter e  Ctrl + X.

15

Faça novamente uma cópia do arquivo com o comando sudo cp /etc/bind/db.local /etc/bind/db.teste.aula

16

Utilize o comando sudo nano /etc/bind/db.teste.aula para editar o arquivo

17

 

Os locais com nome localhost serão substituídos por teste.aula e adiciona o IP do computador. Salvar usando Ctrl + O, enter Ctrl + X.

18

Outra vez você deve reiniciar o sistema com o comando sudo systemctl restart bind9.service

19

Editar novamente o arquivo usando sudo nano /etc/bind/named.conf.local

20

Criar a zona reversa, salvar com Ctrl + O, enter Ctrl + X

21

Fazer a cópia do arquivo db.127 para db.192 usando o comando sudo cp/etc/bind/db.127 /etc/bind/db.192

22

Acessar o arquivo com o comando sudo nano /etc/bind/db.192

23

Agora é possível editar o arquivo db.192, nesse arquivo estão salvos os endereços de IP,  identificados pela última faixa. Depois salve (Ctrl +O, enter, Ctrl +X).

24

Como de costume, reinicie o sistema (sudo systemctl restart bind9.service)

25

Modifique o arquivo resolv.conf (sudo nano /etc/resolv.conf)

26

Agora indique o IP do servidor, como no exemplo e salve (Ctrl +O, enter, Ctrl +X)

27.png

Para saber se deu tudo certo, é só digitar alguma pasta que está no seu servidor, como no exemplo (ns.teste.aula)

28

 

Pronto! 🙂

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como configurar o Captive Portal

Na configuração do pfSense, clicar em System/User Manager. Será preciso criar um novo usuário

1

Usar um nome de usuário e uma senha diferente do admin. É preciso editar as permissões do usuário.

Acessar Effective Privileges e clicar pra adicionar

2

Depois, selecionar a opção user – services: Captive Portal login e salvar

3

Acessar Services/Captive Portal e clique em add

4

É preciso colocar o nome do zone e inserir uma descrição, salvar e continuar.

Depois, habilitar o captive portal

Ao escolher a Interface, é preciso fazer uma série de configurações (como nas imagens)

1.png

2

Você deverá clicar em Local User Maneger/ Vouchers e salvar

Depois, deverá clicar em Vouchers para habilitar a criação de Vouchers  e salvar

Após isso, é só adicionar um Voucher Rolls. Devem ser feitas as seguintes configurações

3

É preciso reiniciar o Cliente, abrir o navegador e selecionar a opção “Open Network Login Page”

Agora é só colocar seu usuário e senha e continuar! 🙂

captiveportal

 

 

 

 

 

Como configurar o PFsense

 

Configurar o endereço IP escolhendo a opção de número 2

img1

Depois configurar a interface LAN escolhendo, novamente, a opção 2

img2

Digitar endereço da LAN IPV4 e escolher a Mascara padrão do ip (nesse caso a 24)

img4

Pressionar ENTER duas vezes e digitar y para habilitar o servidor DHCP

img5

Digitar o endereço final e inicial do IPV4, escolhendo uma faixa de ip para utilizar. Após isso, é necessário digitar y para configurar o HTTP como um protocolo de configuração WEB

img8

Iniciar o cliente. Depois abrir o navegador,  digitar a LAN IPV4 e clicar ENTER. Irá aparecer uma tela de login, como ainda não foi configurado antes deverá ser digitado login e senha padrão (login: admin e  senha: pfsense).

cap1

Clicar “next” duas vezes e depois escolher Hostname e  Domain, colocando o DNS sever do computador. Clicar em “next”.

cap2

Após isso, terá que escolhe o Timezone da sua localidade ou a localidade mais próxima.

Depois irá aparecer uma pagina para configurar a interface WAN, nada deve ser alterado nessa parte.

O próximo passo é configurar a interface LAN no servidor, essa parte também não será alterada.

 É necessário criars uma senha para acessar as configurações do PFsense.

 Depois, clicar em Servises/DNS Resolver. Desabilitar o DNSSEC e habilitar o DNS Query Forwarding. Para aplicar as alterações, clicar em “Apply Changes”.

Capturar

Pronto!!! 🙂

Modelo OSI e modelo TCP/IP

MODELO OSI:

Muitos consideram o modelo OSI a melhor ferramenta disponível para ensinar às pessoas a enviar e receber dados através de uma rede.
Esse modelo de referência possui sete camadas numeradas e cada uma tem sua função, essa separação é conhecida como divisão em camadas e possui muitas vantagens por decompor as comunicações de rede em partes menores e mais simples, por padronizar os componentes de rede, por possibilitar a comunicação entre tipos diferentes de hardware e de software de rede, por evitar que as modificações em uma camada afetem as outras e por decompor as comunicações de rede em partes menores (o que facilita a aprendizagem).
A transferência de informações entre computadores é dividido em sete problemas menores no modelo de referência OSI. As sete camadas do modelo de referência OSI são:

Camada 7: A camada de aplicação
Camada 6: A camada de apresentação
Camada 5: A camada de sessão
Camada 4: A camada de transporte
Camada 3: A camada de rede
Camada 2: A camada de enlace
Camada 1: A camada física.

MODELO TCP/IP:

Já o modelo TCP/IP tem importância histórica, assim como os padrões que permitiram que as indústrias de telefonia, energia elétrica, estradas de ferro e videotape se desenvolvessem. O modelo TCP/IP foi desenvolvido pela necessidade de ter uma rede que pudesse sobreviver a qualquer condição, até a uma guerra nuclear.

Esse modelo possui apenas quatro camadas, são elas:

Camada 4: A camada de Aplicação
Camada 3: A camada de Transporte
Camada 2: A camada de Internet
Camada 1: A camada  de Rede

Apesar de algumas camadas possuírem mesmo nome das camadas do modelo anterior, é preciso tomar cuidado, pois possuem protocolos diferentes e podem induzir ao erro.

 

Sites consultados:

http://www.prof2000.pt/users/palb_form/redesi/OSIvsTCPIP/index.htm

http://waltercunha.com/blog/index.php/2009/04/22/modelo-osi-x-tcpip/

 

Modelo Entidade Relacionamento Estendido

O Modelo ER Estendido inclui os conceitos do modelo ER adicionando as extensões: especialização, generalização, conjunto de entidades de nível superior e inferior, herança de atributos e agregação.

  • Especialização:  vem da separação de entidades de nível superior e forma um conjunto de entidades de nível inferior. modelo-conceitual-chaves-16-638
  • Generalização: é o inverso da especialização, vem da união de entidades de nível inferior e forma um conjunto de entidades de nível superior. Índice
  • Subclasses, superclasses e herança: um tipo de entidade pode ter subgrupos de entidades que são significativos e precisam ser representados explicitamente. Uma entidade que é membro de uma subclasse herda todos os atributos da entidade como um membro da superclasse e todos os relacionamentos dos quais a superclasse participa. IMG_20160701_091014
  • Especialização: é definir um conjunto de subclasses de um tipo de entidade.

Modelos de Dados

Representa a descrição da estrutura de um banco de dados, ou seja, são eles que vão dizer como um BD vai se organizar segundo suas informações.

¹Modelo entidade-relacionamento

Criado por Peter Chen em 1976, foi projetado para estar o mais próximo possível da visão dos usuários finais -modelo de alto nível-. Identifica e modela entidades e relacionamentos, criando um esquema que representa a estrutura lógica geral do BD.

relaenti.png

    Entidades -> São representações no mundo real.
Exemplo:
º Alunos, professores e disciplinas em uma universidade;
º Médicos e pacientes em um hospital.

Em um diagrama entidade-relacionamento, as entidades são representadas por retângulos.

Atributos – > São as características ou propriedades relevantes de uma entidade.
Exemplo:
Paciente: nome; endereço; telefone…
Médico: nome; CRM; telefone…

No diagrama, geralmente, é representado da seguinte maneira:ATRIBUTOS

Relacionamento -> Demonstram os vínculos existentes entre as entidades. Em um diagrama é representado por um losango.

ghgfh.png

 

                      ²Modelo Relacional

Criado por Edgard F. Cood na déc. de 1970.  Modela os dados num conjunto de relações (tabelas ou ficheiros) que são constituídas por um conjunto de atributos (colunas ou campos) que definem as propriedades ou características relevantes da entidade (conceito, objectivo) que representam. Cada tuplo (linha ou registo) da relação caracteriza um elemento único.
imagem1.gif

 

                     ³Modelo hierárquico

Consiste em uma coleção de registros que são conectados uns aos outros por meio de ligações. Um registro é uma coleção de campos, cada qual contendo apenas um valor de dados. Uma ligação é uma associação entre exatamente dois registros.
Um diagrama com estrutura de árvore é um esquema para um banco de dados hierárquico. Tal diagrama consiste em dois componentes básicos: retângulos, que correspondem a tipos de registro, e linhas, que correspondem a ligações.

a06fig02.gif

 

             4.Modelo em rede

O modelo em redes surgiu como uma extensão ao modelo hierárquico, mas ele elimina o conceito de hierarquia e permite que um mesmo registro esteja envolvido em várias associações.

rede-e1349528216242

-Essa postagem foi em parceria com nerdicesemchatisse.wordpress.com-